Babá brasileira virou professora universitária e luta por direitos dos domésticos nos EUA



Há 20 anos, a brasileira Natalicia Tracy desembarcou nos EUA acompanhada de um casal de médicos, também brasileiros, que a contrataram para ser babá por um período de dois anos, enquanto eles realizariam pesquisas em um hospital de Boston.

Ela pretendia aproveitar a oportunidade para ir à escola, aprender inglês e, assim, procurar um novo emprego quando voltasse. Porém, foi impedida de estudar, de falar com a família e submetida a condições degradantes. Hoje, ela é ativista, diretora do Centro do Imigrante Brasileiro em Massachusetts e Connecticut e uma das lideranças na ampliação dos direitos dos trabalhadores domésticos no país. Leia o depoimento dela:

Eu entrei nos Estados Unidos há 20 anos com documentação em dia: tinha um visto pelo contrato de babá para cuidar da criança de um casal de médicos brasileiros, que veio morar aqui para desenvolver pesquisas em um hospital em Boston.

Quando ainda estávamos no Brasil, eles me prometeram que eu poderia estudar, conhecer a cultura americana e aprender inglês, que era o que eu mais queria, porque eu só tinha estudados até a oitava série.

Viajei cheia de expectativas, mas não foi isso o que aconteceu quando cheguei.
Além de cuidar da criança de três anos, fiquei responsável por todo o trabalho doméstico: cozinhar, lavar e passar. Isso acontecia de segunda a segunda, sem folga.

Não me deixaram ir para a escola. E logo tiveram uma segunda criança, o que aumentou o meu trabalho e acabou com o meu sonho de estudar inglês.
No começo, me deram um quarto, mas depois, como recebiam muita visita, me colocaram para dormir em um colchão no chão da varanda.

O local era protegido apenas por um vidro bem fininho, e quando chegou o inverno, eu tinha que cobrir o chão com jornais e usava o aquecedor portátil.
Fiquei doente e tive uma reação alérgica por causa de um produto para limpar o tapete. Não me levaram ao médico, mas permitiam que eu usasse o restante do produto de inalação da criança.


    Natalicia superou passado de exploração e hoje é professora universitária


Comida, me davam só quando sobrava. Caso contrário, eu tinha de comprar.
Mas eu só podia escolher um sanduíche de US$ 1,00 no McDonald’s porque o meu salário era de US$ 25 semanais.
Pegaram o meu passaporte dizendo que iam renovar o meu visto de trabalho, mas nunca renovaram. Eu fiquei ilegal nos Estados Unidos.

Quando eu pedia para estudar, a mãe dizia que eu era ingrata e que qualquer pessoa na minha situação beijaria o chão onde ela pisasse por ter me dado a oportunidade de estar em um país de primeiro mundo.

O pior de tudo foi terem me impedido de me comunicar com a minha família no Brasil. Diziam que o telefone era muito caro e não permitiam que eu colocasse meu nome na caixa de correio da casa deles. Naquela época, o carteiro não deixava as correspondências se o nome não estivesse na lista.

Dois anos se passaram e, quando chegou a hora de eles voltarem ao Brasil, eu pedi para ficar no país.
Quando eu andava na rua, sem saber falar inglês com ninguém, pensava até que seria melhor se um carro me atropelasse. Então, aprendi algumas palavras com um pequeno dicionário que eu trouxe na bagagem.

Achei no jornal de anúncios um emprego de babá para uma família americana. Eles me deram quarto, roupas novas, me pagaram o transporte para eu ir à escola e não aceitaram a minha oferta para trabalhar de graça. O meu salário era de US$ 100 por semana.
Fui para a faculdade, me casei com um americano, fiz mestrado e estou terminando o meu doutorado em sociologia na Boston University. Conheci a comunidade brasileira e me envolvi com o centro de imigração.

Hoje, sou professora na University of Massachusetts Boston e diretora-executiva do Centro do Imigrante Brasileiro em Massachusetts e Connecticut.
Em parceria com outras organizações, lutamos para ampliar os direitos dos trabalhadores domésticos nos Estados, uma questão sensível para a comunidade brasileira.

Muitos trabalham por hora na limpeza doméstica, mas os direitos são pouco reconhecidos nesses contratos. Me engajei nisso por causa da minha própria existência.
A gente que vem de família mais simples está muito acostumado a respeitar autoridade. Eu sabia que eu era invisível para eles, mas não questionava.
Hoje, depois de estudar, eu compreendi que o que os meus patrões brasileiros fizeram comigo naquela época foi tráfico humano.

Fonte:   Folha de S.Paulo

Resenha do livro Classes Hospitalares – O Espaço Pedagógico nas Unidades de Saúde





Resenha do livro Classes Hospitalares – O Espaço Pedagógico nas Unidades de Saúde

Eu faço parte de um projeto que tem por objetivo principal levar a escolarização para as crianças hospitalizadas e um livro que muito me auxiliou a entender sobre a rotina hospitalar, seus pacientes e desafios, foi o livro Classes Hospitalares – O Espaço Pedagógico nas Unidades de Saúde.

 Esse livro nasceu da experiência do referido projeto que existe desde o ano de 2001, na UFPB (Universidade Federal da Paraíba) no Centro de Educação, por meio da prof. Drª Janine Marta Coelho Rodrigues, durante todo esse tempo atendeu centenas de crianças e jovens, amenizando o processo de hospitalização, promovendo conhecimento aos pacientes que ali estão. Além de não permitir que o desejo pelo saber seja rompido com o tempo de hospitalização.

Esse livro é uma ótima dica para os que estudam sobre processos educativos no contexto hospitalar. É poder vivenciar na pratica o real conceito de humanização, pois cada gesto, cada olhar desses jovens tornam a nossa vida mais significativa. A cada dia que vou ao hospital fazer atendimento Psicopedagógico sinto que minha vida tem mais significo, que cada olhar dessas crianças e jovens me ensinam novas lições, seja de perseverança, de paz e amor.



“A Pedagogia Hospitalar proporciona a criança e aos adolescentes hospitalizados uma recuperação mais aliviada, por meio de atividades lúdicas, pedagógicas e recreativas. Além, disso, previne o fracasso escolar, que, nesses casos, é gerado pelo afastamento da sala de aula onde originariamente estuda. [...] A Classe Hospitalar foi criada com o objetivo de assegurar às crianças e aos adolescentes hospitalizados a continuidade dos conteúdos regulares, possibilitando um retorno após a alta sem prejuízos à sua formação escolar” (p. 42)





Essa postagem é para mostrar que no meio da rotina desgastante dos Hospitais existem belos trabalhos preocupados em levar não só o saber e garantir a escolarização, mas levar também amor e humanização. Além de que trago uma dica de um excelente livro para ampliarmos o conhecimento e discussões sobre A escolarização em contexto hospitalar e a existência de Classes Hospitalares no Brasil, pois é um direito dos jovens e adolescentes, mesmo em período de internação, eles não podem ser privados do direito ao saber, ao conhecimento e ao aprender.



Maiores Informações sobre o livro

Autor: Janine Marta Coelho Rodrigues
Editora: Wak
Página: 140
Preço: R$ 28,00


CONVIDO AS COISAS BOAS PARA A MINHA VIDA E DEIXO QUE PASSEM A FAZER PARTE DELA



 Good

CONVIDO AS COISAS BOAS PARA A MINHA VIDA E DEIXO
               QUE PASSEM A FAZER PARTE DELA



Para melhorar a sua vida, acredite primeiramente que alguma coisa melhor existe. Muitas pessoas acham que aquilo que elas têm agora é o melhor que podem criar e têm medo de fazer mudanças. Comece ao menos acreditando que as circunstâncias poderiam ser melhores, que você pode ter aquilo que deseja, e que não há nada de errado em fazer com a sua vida aquilo que você gosta. Sempre existe uma maneira de mudaras suas circunstâncias. Reserve alguns momentos para pensar em pelo menos três razões pelas quais você pode ter aquilo que deseja.
Você talvez precise criar o tempo necessário para desenvolver e utilizar suas habilidades superiores. Isso significa passar os seus dias fazendo aquelas tarefas que somente você pode fazer e deixar que os outros o ajudem com o resto. Uma mulher começou um pequeno negócio oferecendo serviços de datilografia para pequenos empresários, mas não tinha tempo para expandir sua empresa ou para servir seus clientes tão bem como gostaria. Ela ficava ocupada demais e se cansava tentando administrar o negócio e, ao mesmo tempo, fazer a datilografia, as tarefas domésticas, os serviços externos, cozinhar e cuidar de muitas outras tarefas. Um dia ela compreendeu que precisava arranjar ajuda mas começou a se preocupar com a possibilidade de não conseguir pagar alguém e, ainda assim, conseguir algum lucro. Ela então resolveu que, durante o tempo em que estivesse pagando alguém para fazer o trabalho doméstico, ela usaria suas habilidades superiores para gerar pelo menos o dobro do dinheiro que pagava pela ajuda.
Confiando na sorte, ela resolveu contratar uma pessoa para ajuda-la. Ela empregava o tempo livre organizando os negócios, arranjando clientes e cuidando de suas necessidades. Ao passo que antes ela vivia cansava demais para servir realmente às pessoas ou expandir o seu negócio, agora conseguia ter tempo para isso. As pessoas notaram a atenção que ela dava às suas necessidades e o excelente serviço prestado e, por causa disso, começaram a voltar e a encaminhar-lhe novos clientes. Ela não só conseguiu servir melhor às pessoas e ganhar mais dinheiro como também proporcionar um emprego de datilógrafa e outro de empregada doméstica para alguém que precisasse e apreciasse o trabalho.
Algumas pessoas se preocupam, achando que não têm mais idade para mudar suas carreiras ou para começar a fazer o trabalho de suas vidas.
Você nunca é velho demais. Muitas pessoas criaram grandes empresas depois dos sessenta anos de idade. Uma mulher que estava num emprego havia muitos anos queria encontrar um trabalho mais significativo. Ela estava perto da aposentadoria e trabalhara naquela empresa durante muitos anos. Conquanto continuasse ansiando por um trabalho mais satisfatório, ela achou que poderia aguentar mais alguns anos, apesar de há muito ter deixado de se desenvolver e de se sentir desafiada pelo emprego.

Ela se concentrou todos os dias em criar o seu propósito superior através da energização do seu símbolo, um círculo de luz. Ela começou a pensar positivamente, acreditando que poderia achar um emprego melhor muito embora, na ocasião, não conseguisse compreender como. Nesse meio tempo, ela começou a se encontrar com um homem maravilhoso, e juntos exploraram muitas coisas. Ele era proprietário de uma empresa que montara por diversão, logo após a aposentadoria, crescendo muito mais rapidamente do que ele esperava. As habilidades dela eram perfeitas para o negócio que ele possuía. Ele não apenas contratou-a em tempo integral como também acabaram se casando. Isso era tudo o que ela havia pedido e muito mais; a mulher adorou o trabalho, fazia parte de uma equipe, sentia-se desafiada e estava aprendendo novas habilidades.


FONTE: LIVRO CRIANDO DINHEIRO E PROSPERIDADE
SANAYA ROMAN
DUARTE PACKER
EDITORA: PENSAMENTO





SANTA M. FAUSTINA KOWALSKA

1520 – HOJE, O SENHOR ME DISSE:

Abri o Meu Coração como fonte viva de misericórdia; que dela tirem vida todas as almas, que se aproximem desse mar de misericórdiacom grande confiança. Os pecadores alcançarão justificação, e os justos serão confirmados no bem. O que confiou ( 115) na  Minha misericórdia, derramarei na hora da morte a Minha divina paz na sua alma.

1521 –O SENHOR ME DISSE:

Minha filha, não te canses de divulgar a Minha misericórdia; consolarás com isso o Meu Coração, que arde com a chama de compaixão para com os pecadores. Diz aos Meus sacerdotes que os pecadores empedernidos se arrependerão diante das palavras deles, quando falarem da Minha insondável misericórdia, da compaixão que tenho para com eles no Meu Coração. Aos sacerdotes que proclamarem e glorificarem a Minha misericórdia darei um poder extraordinário, ungindo as suas palavras, e tocarei os corações daqueles a quem falarem.



FONTE: LIVRO DIÁRIO-
A MISERICÓRDIA DIVINA NA MINHA ALMA
SANTA M. FAUSTINA KOWALSKA
CONGREGAÇÃO DOS PADRES MARIANOS

A SAÚDE



 

A SAÚDE


Nosso organismo é vivo e dinâmico, como tudo no Universo. Nosso corpo trabalha incansavelmente para nos manter em harmonia; qualquer desequilíbrio é suficiente para desencadear uma doença futura. Um simples corte é motivo para o cérebro involuntariamente enviar milhões de anticorpos para o local afetado em questão de segundos, como se fossem um exército.
Em poucas horas o sangue coagula, a ferida se fecha e em poucos dias cicatriza e desaparece. O corpo humano é dotado de uma autodefesa fenomenal.
Fortalecer o sistema imunológico diariamente por meio de pensamentos positivos é uma das melhores prevenções que existem, não dói e não custa nada. Alimente seu sistema imunológico e ajude seu corpo a se defender por meio de pensamentos e palavras positivas no seu dia-a-dia. Pode parecer difícil no começo, mas depois se torna um hábito. Sua mente já estará sugestionada a se manifestar dessa forma e a se manter saudável.
Há exemplos simples de como fazer isso. Mentalize sempre:

- Eu sou forte, tenho uma saúde perfeita, sinto-me bem, sinto-me disposto.

Sua mente se tornará uma emissora de ondas de bem-estar. Lembre-se de que sua mente grava por repetição. Todas as célulasdo seu corpo receberão essa mensagem instantaneamente e responderão automaticamente a esse estímulo. Seu corpo começará a reagir beneficamente, combatendo qualquer mal-estar e reequilibrando sua saúde. Seu semblante mudará, seu olhar brilhará e o bem-estar tomará conta do seu corpo.
O sofrimento, a culpa, os traumas, o estresse, a baixa auto-estima, as frustrações, as ansiedades e o ressentimento cada vez mais fazem parte do nosso dia-a-dia e são elementos que enfraquecem significativamente o nosso  sistema imunológico. Nosso poder de proteçãocontra as doenças fica deficiente. Seu estado natural é aquele que vibra positivamente, um estado de excelência.
Quando a mente está alinhada, o corpo transparece toda sua vitalidade, força e luz, você se torna uma pessoa atraente, mas não necessariamente bela. Isso é ser saudável. O estado natural da mente é quando se está bem. Estar bem é estar em sintonia com o corpo e a mente. Essa sintonia é vital para se ter uma vida saudável. Seu corpo reage automaticamente ao seu pensamento. Se estiver bem e feliz, seu corpo corresponderá com vitalidade. Se estiver depressivo , estressado, seu corpo se tornará doente e deficiente.
Claro que a boa alimentação e os exercíciosfísicos são essenciais para manter seu corpo saudável,mas é preciso ter a mente equilibrada  para entrar em harmonia perfeita.

“ Mente sã, corpo são.”


FONTE: LIVRO A LEI DA ATRAÇÃO
C. TORRES E S. ZANQUIM
EDITORA: MADRAS

A SABEDORIA DE DEUS DIRECIONA O ESFORÇO



 http://1.bp.blogspot.com/-nEpEmoGAguI/UYb1hdKWfAI/AAAAAAAAADM/XG6pFS_UvDw/s1600/551962_326959267399236_573088021_n_large.jpg

A SABEDORIA DE DEUS DIRECIONA O ESFORÇO

Existem pessoas que, apesar de se esforçarem intensamente, não conseguem obter resultado algum, enquanto outras obtém bons resultados em tudo que fazem e alcançam grandes êxitos. De ondevem essa diferença?  Os primeiros estão se esforçando com inteligência própria e não sob a orientação da Sabedoria de Deus; os outros são orientados pela Sabedoria de Deus e não seguem o caminho da ilusão. Uma ação nãoorientada pela Sabedoria de Deus é uma ação cega; por isso, esse esforço se perde inutilmente sem atingir o alvo. Quando houver a união do esforço, do entusiasmo e da Sabedoria de Deus seremos superpotentes e nada será impossível de ser realizado. Para que o esforço e o fervor não sejamdespirdiçados em vão, é necessário que pratiquemos toda manhã a Meditação Shinsokan para aprofundarmos o sentimento de união com Deus, e sintonizarmos com o mundo da Imagem Verdadeira (o céu, o mundo onde é feita a vontade de Deus), e daí captarmos a sabedoria para uma ação correta e ordenada.


FONTE: LIVRO CONVITE À PROSPERIDADE – 1
MASAHARU TANIGUCHI
SEICHO-NO-IE
 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!